segunda-feira, 25 de setembro de 2017

Avançar com a Igualdade de Género, com Marisa Matias

No mês de outubro, quinta-feira 19, pelas 21h30, a eurodeputada Marisa Matias virá à Biblioteca Municipal de Oeiras debater a importância da igualdade de género em todos os domínios da sociedade, político, económico, laboral, pessoal e familiar. Este é um tempo de novos desafios quanto aos direitos e liberdades para a igualdade de oportunidades de participação, reconhecimento e valorização de mulheres e homens.
Nos dias de hoje, em virtude da persistência de desigualdades nas relações de género, afigura-se como fundamental acabar com a discriminação de género através de uma intervenção integrada nas várias esferas da sociedade, com vista à promoção de uma plena Igualdade de Oportunidades entre Homens e Mulheres.
Cada vez mais se observam transformações profundas no “modelo familiar”, tradicionalmente assente numa construção social de papéis de género em função do sexo, conduzindo a uma conceção do masculino e do feminino diferenciada e hierarquizada em termos de importância.
Marisa Matias é investigadora do Centro de Estudos Sociais e doutorada pela Faculdade de Economia da Universidade de Coimbra. Publicou vários artigos científicos, capítulos de livros e outras publicações, nacionais e internacionais, sobre relações entre ambiente e saúde pública, ciência e conhecimentos e democracia e cidadania. Colaborou enquanto formadora/professora em vários cursos de formação e programas de pós-graduação. Realizou investigação científica nas áreas da saúde ambiental, sociologia da ciência, sociologia da saúde e sociologia política. Em 2016 foi candidata às eleições presidenciais portuguesas, tendo ficado em 3º lugar e tornando-se a mulher mais votada de sempre em eleições presidenciais em Portugal. 
Atualmente é deputada no Parlamento Europeu, eleita em 2009, onde integra as Comissões de Indústria, investigação e energia (ITRE) e Economia a assuntos financeiros (ECON). É também Vice-Presidente da Delegação para as relações com os países do Maxereque. Entre 2009 e 2012 foi membro da Comissão de Ambiente, Saúde Pública e Segurança Alimentar (ENVI)A moderação é de Vasco Trigo.
Contamos consigo!

sexta-feira, 22 de setembro de 2017

Exposição de Ilustração de João Concha, na Biblioteca Municipal de Algés




quinta-feira, 21 de setembro de 2017

As nossas sugestões...azul

As nossas sugestões: leia um livro cuja capa seja azul
A professora Mann é uma mulher de trinta e tal anos que vive sozinha com os seus dois filhos, ensina Geografia num liceu nocturno e está divorciada de um homem que vive num país turbulento - Israel. Mais dos que sentir ou pensar, prefere observar o mundo na qualidade de testemunha, fragmentando-o em detalhes de maneira incisiva, implacáve, muitas vezes mordaz. Viajante impenitente - como o fora anos antes, de mochila às costas, percorrendo o mundo sozinha, vivendo a espontaneidade, o exotismo, deitando-se com desconhecidos-, escreve a sua passagem pela vida «como se tudo se tratasse  de uma longa viagem que há que registar» repleta de aventuras, juventude, amor e sexo, acidentes e atentados. O passado e o presente, e o mundo exterior e o interior, interagem e dão lugar a uma grande imprevibilidade. A passageira é um romance diferente e cativante. Num registo coloquial, a autora mostra uma realidade em que o quotidiano é permanentemente comovido pelo insólito, pela diferença, levando-nos por caminhos pouco trilhados, no termo dos quais há sempre uma reviravolta que surpreende o leitor, confundindo-o e sugerindo um novo rumo para a imaginação.
O enredo da bolsa e da vida, o mais recente romance de Eduardo Mendoza, protagonizado pelo célebre detetive louco d’O mistério da cripta assombrada e O labirinto das azeitonas, é uma sátira genial sobre a Europa contemporânea. O detetive sem nome regressa à ação em tempos de crise e, ajudado por uma trupe improvável, que inclui uma acordeonista de rua, um africano albino e um vigarista, entre outros, é chamado a impedir um ataque terrorista envolvendo Angela Merkel.
Um livro muito bem escrito sobre três figuras importantes: Kafka, Pessoa e Borges. Que linhas unem um imigrante que lava vidros num dos primeiros arranha-céus de Nova Iorque a um rapaz misantropo que chega a Lisboa num navio e a uma criança que inventa coisas que depois acontecem? Muitas. Entre elas, as linhas que atravessam os livros. Em 1910, a passagem de dois cometas pela Terra semeou uma onda de pânico. Em todo o mundo, pessoas enlouqueceram, suicidaram-se, crucificaram-se, ou simplesmente aguardaram, caladas e vencidas, aquilo que acreditavam ser o fim do mundo. Nos dias em que o céu pegou fogo, estavam vivos os protagonistas deste romance – três homens demasiado sensíveis e inteligentes para poderem viver uma vida normal, com mais dentro de si do que podiam carregar. Apesar de separados por milhares de quilómetros, as suas vidas revelam curiosas afinidades e estão marcadas, de forma decisiva, pelo ambiente em que cresceram e pelos lugares, nem sempre reais, onde se fizeram homens. Mas, enquanto os seus contemporâneos se deixaram atravessar pela visão trágica dos cometas, estes foram tocados pelo génio e condenados, por isso, a transformar o mundo. Cem anos depois, ainda não esquecemos nenhum deles. Escrito numa linguagem bela e poderosa, que é a melhor homenagem que se pode fazer à literatura, "No Meu Peito não Cabem Pássaros" é um romance de estreia invulgar e fulgurante sobre as circunstâncias, quase sempre dramáticas, que influenciam o nascimento de um autor e a construção das suas personagens.

quarta-feira, 20 de setembro de 2017

Exposição de Ilustração de Pedro Benvindo, na Biblioteca Municipal de Carnaxide

No passado sábado, decorreu na Sala Infantil da Biblioteca Municipal de Carnaxide, a inauguração da exposição de ilustração "10 Histórias para adormecer sem medos nem birras", que contou com a presença do ilustrador Pedro Benvindo e da autora Filipa Sommerfeldt Fernandes.











segunda-feira, 18 de setembro de 2017

Aconteceu neste Verão - Curso Ler, Ouvir e Contar


Nos passados dias 10 a 15 de julho de 2017 foi promovido na Biblioteca Municipal de Algés - Galeria Municipal do Palácio Ribamar de Algés mais um Curso de Verão intitulado Ler, Ouvir e Contar.
Neste curso pretendeu-se explorar todo o processo da narração oral, desde a seleção de textos, de livros e objetos narrativos à criatividade vocal, gestual e corporal, bem como o processo de comunicar uma história para captar a atenção de um público em vários contextos.
O curso contou com a colaboração de 5 formadores convidados, Inês Blanc (Minutos de Leitura), Conceição Garcia (Escrever Escrever), Telma Pereira, Elsa Serra (Escrever Escrever) e Paulo Patraquim (Bica Teatro) que ministraram 6 módulos: Contar com Tapetes Narrativos; Técnicas de Storytelling; Contadores de Sons; Contar Histórias Com Livros; Contar Histórias Sem Livros; e Contos Contigo.
O curso envolveu 40 participantes (cerca de 20 por módulo) que manifestaram a sua elevada satisfação com os módulos do curso e mostraram especial interesse nos objetos narrativos apresentados (tapetes e instrumentos musicais).
Apresentamos 2 momentos do curso do verão:
Contar com Tapetes Narrativos com Inês Blanc
 Contadores de Sons com Telma Pereira